Equipa LK – Entrevista Cátia Policarpo | Designer de Interiores

Na loja de Leça da Palmeira, em Matosinhos, o dia de Cátia Policarpo começa cedo, quando se abrem as portas aos clientes e se verifica o correio electrónico, a lista de projetos e a agenda. Não há dias iguais, mas Cátia sabe que há procedimentos que facilitam a organização e, esses sim, fazem parte de uma rotina saudável e benéfica para obter os melhores resultados.

lk_catia_01_2015

© Laskasas

A nossa entrevistada é uma jovem designer de interiores, de 26 anos, apaixonada pelas artes “desde que me conheço por gente”, como nos confessou. Costurava roupas para as suas bonecas, adorava moda e também comunicação. Como é que isto evoluiu para o design de interiores? “Fui estudar para a ESAD porque sabia que gostava da área; o primeiro ano de curso é geral e depois começamos a ter contacto com diferentes ramos do design. Através desses trabalhos e disciplinas, percebi que os interiores era o que me fascinava mais e decidi ir por essa via”. Escolha acertada, não fosse esta a sua verdadeira paixão.

lk_catia_07_2015

© Laskasas

Cátia tem noção de que a generalidade das pessoas confunde um pouco a função dos designers de interiores com a dos arquitectos, e explica: “Nós, designers, dirigimos o foco para a funcionalidade do espaço e coisas bastante específicas, tais como pontos de luz, conforto, enfim, elementos essenciais ao dia-a-dia do cliente. Já o arquitecto tem como função principal a estrutura, a base onde o designer trabalhará depois”.

Seja como for, o trabalho ideal é sempre feito em equipa. Aliás, a designer explica que na loja de Leça da Palmeira, essa é umas das suas principais motivações, o facto de todos participarem activamente dos projetos, darem opinião e se envolverem com gosto. Reconhece que há um enriquecimento do seu trabalho ao ouvir o que os outros têm a dizer e na troca de ideias.  “Cada projeto meu é um reflexo de uma estrutura humana que se criou nesta loja. Por exemplo, eu e a Rita [designer de interiores da mesma loja] é como se fôssemos uma só, levamos a cabo imensos projetos juntas e funcionamos bem em equipa, não há a questão dos egos”.

lk_catia_04_2015

© Laskasas

O primeiro projeto individual nunca se esquece, e Cátia conta como essa experiência, pouco depois de terminar o curso e ingressar na vida activa, foi um misto de emoções. “Tive algum receio, mas estava entusiasmada. E nervosa, claro. Era altura de mostrar o que valia, e por em pratica muitas coisas que só sabia, ainda, na teoria”; sente-se grata por esse momento, porque também lhe foi dada oportunidade de errar, refazer, aprender.

Com os projetos nasceu o vínculo mais importante, o contacto directo com o cliente, que é um constante desafio e o elemento essencial do seu trabalho. “Temos de transmitir confiança, desenvolver empatia e perceber que cada cliente é único. Não é sempre fácil perceber com que ideia nos chegam ou, até mesmo, explicar alguns motivos que impedem de se fazer algo como seria desejado à partida. Tem de haver cedências de parte a parte e uma sensibilidade de cada um de nós, na equipa, para ajudar o cliente a ter o que deseja, sem prejudicar o resultado, quer a nível estético, técnico ou funcional.” A satisfação é o objetivo, sempre.

lk_catia_02_2015

© Laskasas

A Laskasas é a segunda empresa com a qual trabalha e com a qual se sente realizada. “Aqui consegui focar-me deveras no design de interiores e evoluir imenso, principalmente ao nível do 3D. Sinto-me perfeitamente capaz de competir com outros profissionais com mais experiência do que eu, até, se fosse o caso. É-me dado espaço e autonomia, confiam no meu trabalho”.

Nenhum projeto de decoração surge de ânimo leve, há passos que são dados ao longo do processo de criação. “Primeiro reune-se com o(s) cliente(s), e procuramos saber o que pretendem, os seus gostos, se trazem alguma ideia ou preferência, se já tiveram contacto com outros decoradores; depois agenda-se uma visita ao espaço para conhecer e tirar todas as medidas, que vão servir para passar à planta 2D e, juntamente com os comerciais, vão-se escolhendo peças e possibilidades para aquele conceito. Ao longo do processo, há mais reuniões com o cliente, de forma a acompanhar o que vai sendo feito e adaptar o mais possível ao pretendido. Com o 3D podemos mostrar o resultado fiel de como ficará a casa ou divisão. Hoje em dia podemos trocar a cor, textura, experimentar opções na hora, com recurso a estes programas e ter feedback instantâneo.”

lk_catia_08_2015

© Laskasas

Cátia não estranha, por isso, que ainda no mês anterior tenham sido aprovados todos os projetos em que se envolveu. “O cliente sabe que estamos todos a trabalhar para a mesma meta e sente-se seguro com uma equipa dedicada”. Mesmo quando não avançam na hora com o projeto, por diversos motivos ou contratempos pessoais, não é raro que voltem para os realizarem mais tarde ou que optem por completar, por fases, um conceito global para a sua casa. “Às vezes é mais simples fazerem divisão a divisão, até concluírem o resultado, sabem que estamos aqui para ajudar e sentem-se à vontade”.

lk_catia_03_2015

© Laskasas

Há muita margem de criatividade e cada projeto pode revelar-se uma surpresa. Para a Cátia, há sempre coisas interessantes que surgem, até com elementos pré-existentes. “Gosto de misturar peças modernas com outras mais vintage ou com objetos que o cliente já tenha e sejam apropriados para complementar o ambiente. Há mobiliário ou acessórios de valor sentimental ou monetário, que se podem perfeitamente enquadrar num novo projeto e tornar o espaço ainda mais personalizado e único”.

Perguntamos à nossa designer se há dicas intemporais no que diz respeito à decoração. “Claro! Um truque muito bom é apostar em cortinados ou tapetes diferentes, para dar um novo ar ao espaço. E almofadas decorativas, funcionam muito bem em imensos ambientes; se a base for neutra, melhor ainda”. E peças preferidas, há? “Adoro as nossas mesinhas de cabeceira “Cátia”, e nem é pelo nome [risos]. Mas são muito bonitas e práticas, até tenho em minha casa – ah, e personalizadas, claro!”.

lk_catia_06_2015

© Laskasas

Quanto ao futuro da Laskasas, está seguríssima: “Sempre em crescimento! E sim, eu estarei lá, se depender de mim. Temos tudo na empresa para ir cada vez mais longe, principalmente se trabalharmos em equipa e potenciarmos o entrosamento entre as diferentes lojas, tornando-nos ainda mais eficientes e capazes.”

Quer decorar a sua vida com a Cátia Policarpo? Visite a loja Laskasas de Leça da Palmeira e encante-se com um projeto perfeito.